domingo, 27 de junho de 2010

Enjoy The Silence

As sombras dançam na ponta dos teus dedos
sorriem como flores da madrugada
A tua voz solidifica as gotas intermitentes
nos olhos das pedras que espreitam no caminho
Nas árvores que crescem irreverentes no meu peito
um suspiro ao ritmo calmo e sereno das nuvens
sobrevoando a tua alma
Estou aqui Não estou
Divido-me entre o querer e o partir
Não sou Nem me sei eu
Aproveita o silêncio que está por vir
agora que me despeço

3 comentários:

Quimeras disse...

Simplesmente o mais belo poema que já publicaste...

loner disse...

Talvez por ser o último...

Quimeras disse...

Não, não poderá ser o último. Quem tem o dom da palavra como tu, não tem o direito de se calar... O silêncio pesa...a palavra liberta!