terça-feira, 30 de novembro de 2010

...
















quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Entre 2 mundos



O espaço que tenho dentro de mim
são os meus sonhos
Sou assim composto de matéria nebulosa
onde cintilam memórias
da galáxia onde te moves
Uma parte deseja-te
outra sonha-te
Uma parte está contigo
outra viaja ao teu encontro
E nesse espaço sem fim
onde gelo e sufoco
descubro a porta mais secreta
onde rasgo os meus dedos
desenhando o tempo
És a lembrança onde me sepultaste
balançando nesta penumbra
sem sombra nem sol
oscilando entre 2 mundos
descendo um amazonas sem fim
E quando me perguntarem quem sou
direi que sou pouca coisa
Aquilo que o teu coração fez de mim

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

CAT STEVENS - LADY D'ARBANVILLE

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Procura-me


Procura-me
quando não souberes mais onde encontrar
encontra-me
sem teres de procurar
desvenda-me
nascido e criado nas estrelas perdidas no azul
perde-te
sem teres nada mais a desvendar
por fim chora-me
por ter semeado lágrimas e amor em terra infértil
por deixar que o coração pendurado nesta janela ainda sangre


E em sonhos aquietarei teu choro
afastarei as nuvens da tempestade
sobrevoarei teus lábios num planar suave de pássaro esfomeado
de asas envolvendo o teu corpo

Do outro lado do tempo... do outro lado do mundo
deixa-me sonhar-te!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Do outro lado do tempo, sonho-te!



Sabes, do alto da Roca vejo o outro lado do mar, o outro lado do tempo.
Quinhentos anos de naus e caravelas, oito mil quilómetros de lágrimas geladas que me salgam os lábios trazidas pelo vento agreste que sopra através dessa imensidão e da lonjura do horizonte infinito.
Mergulho.
Atinjo as profundezas do inferno, escuro e frio.
Regresso.
Percorro esse azul, procurando outro azul.
Nos meus olhos a visão de monstros tenebrosos que assombram a distância, nos meus ouvidos o cântico da sereia perdida, a música da elfa na floresta que encanta as falésias onde desesperadamente procuro abrigo.
Se não soubesse nadar, nadava. Se não soubesse cantar, cantava. Se não soubesse morrer, morria.
Com todo o amor - toda a desilusão, toda a paixão e gratidão que arrancaste aos meus olhos -, do alto da Roca imagino-te.

Do outro lado do tempo, sonho-te!

Destino



Sabemos onde está a estrada, mas escolhemos atalhos.
Sabemos onde está o norte, mas andamos sem rumo.
Temos a terra à vista, o porto de abrigo, mas escolhemos a tempestade.
Não andamos perdidos. Andamos de olhos fechados.
Procuramos o que não existe.
Eu não tenho o que quero e existe, mas já tive o que nem sequer sonhei.
E se vivo na mágoa de não te saber ter, tenho a paz que retorna da devastadora e deslumbrante memória do que foste para mim.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Brooke Fraser - Waste another Day (Desperdiçar mais um dia)

"Até que o Sol e os planetas desapareçam

Poderia ficar nos teus braços todo o ano

Mesmo que isso significasse através do infinito"

(Brooke Fraser - Waste another day)

sábado, 6 de novembro de 2010

Brooke Fraser - Lifeline (Tábua de salvação)

Quando nos estamos a afogar, nas águas que nos separam, nesse mar de beleza azul, existe sempre uma "lifeline", uma tábua de salvação, a que nos agarramos com toda a força.

Que sequem os oceanos...!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

HERÓIS DO MAR - SÓ GOSTO DE TI (tv 1985)

SÓ GOSTO DE TI