terça-feira, 16 de dezembro de 2014

THE RIVER OF SORROW: Enredo

THE RIVER OF SORROW: Enredo: Não tenhas medo da alquimia Da mudança Da geometria variável do prazer Soçobras em teoremas inacabados Num gemido ténue Envergonh...

THE RIVER OF SORROW: Por detrás do dia de ontem

THE RIVER OF SORROW: Por detrás do dia de ontem: Foste apenas sonhada Em quadros de melancolia Na sombra onde o vazio onde nem o vazio existe Perdura  Nunca exististe O son...

THE RIVER OF SORROW: Perdido

THE RIVER OF SORROW: Perdido: A morte só dói a quem ainda não morreu a quem nunca morreu e eu  de vez em quando  retorno à beleza do sonho e da noite num abrir e fe...

terça-feira, 29 de julho de 2014

THE RIVER OF SORROW: A verdade é meia palavra do amor

THE RIVER OF SORROW: A verdade é meia palavra do amor: A verdade é meia palavra do amor De costas voltadas olhando-nos do espelho das nuvens. As pernas agrilhoadas nas raízes Que...

domingo, 6 de julho de 2014

THE RIVER OF SORROW: Pequenas almas

THE RIVER OF SORROW: Pequenas almas: Há 3 anos tirei esta foto a que dei o nome de "pequena alma ao sol". Há 3 anos eram 3 pequenas grandes almas ao sol, a Gigi, o Lun...

sábado, 21 de junho de 2014

THE RIVER OF SORROW: Veneno

THE RIVER OF SORROW: Veneno: Por vezes lembro-me de ti Com a mesma leveza infalibilidade e indiferença Com que a terra vê a chuva desvanecer-se No odor da manhã ...

terça-feira, 3 de junho de 2014

THE RIVER OF SORROW: Passados III

THE RIVER OF SORROW: Passados III: Vivo de sombras 25 de Abril de 2011   Entra. Senta-te. Pode ser naquela cadeira onde nunca te sentaste, perto de mim. Ainda t...

domingo, 1 de junho de 2014

THE RIVER OF SORROW: Luta de galáxias

THE RIVER OF SORROW: Luta de galáxias: Luta de galáxias, a que nós não assistiremos... Seremos pó muito antes disto acontecer. Os nossos deuses e as religiões, tudo o que inventá...

THE RIVER OF SORROW: Tradições

THE RIVER OF SORROW: Tradições: Não há "honra" em nenhuma tradição bárbara, seja ela qual for, quer o objecto dessas tradições seja a vida e o sofrimento humano...

segunda-feira, 26 de maio de 2014

THE RIVER OF SORROW: Não há morada para a raiva

THE RIVER OF SORROW: Não há morada para a raiva: La chambre de Van Gogh à Arles,  1889 Musee d'Orsay, Paris Há uma porta que não abre nem fecha E que não leva a lado ...

quarta-feira, 21 de maio de 2014

THE RIVER OF SORROW: Passados II

THE RIVER OF SORROW: Passados II: Nada 11 de Abril  de 2013 Vens a meio da noite Com asas de murmúrio E incerteza de veludo Ressoando levemente Os teus passo...

quarta-feira, 14 de maio de 2014

MORRISEY MEAT IS MURDER, WITH LYRICS

terça-feira, 13 de maio de 2014

Somos assim como o vento

THE RIVER OF SORROW: Somos assim como o vento: Por vezes parecemos aquilo que não somos E somos anjos a voar como peixes que se divertem num céu sem água (talvez se aprendessem a cant...

sábado, 3 de maio de 2014

THE RIVER OF SORROW: Caminho

THE RIVER OF SORROW: Caminho: Tragam-me o vinho que me embriague Flores para perfumar o que habito As cores do céu para me tingir e vestir do nascer ao pôr-do-sol Os sons...

sexta-feira, 2 de maio de 2014

THE RIVER OF SORROW: Passados I

THE RIVER OF SORROW: Passados I: Perfunctório 15 de Junho de 2011

domingo, 27 de abril de 2014

THE RIVER OF SORROW: Onde nada mais existe

THE RIVER OF SORROW: Onde nada mais existe: Onde nada mais existe, existo eu, Vazio, mantido por artérias e veias secas, Onde outrora correu rio. As epidérmicas margens desfolha...

THE RIVER OF SORROW: Galáxia muda

THE RIVER OF SORROW: Galáxia muda: As ruas estão desertas e as folhas esvoaçam pelo alcatrão em liberdade. Nos passeios ecoam sons difusos, lembrando passos apressados que ...